Aterro sanitário como fonte de energia

O aterro sanitário é o principal recurso para tratamento de resíduos sólidos, e dispõem das técnicas mais segura para saúde da população do que os lixões a céu aberto. Os aterros possuem a impermeabilização do solo para que não haja a contaminação, sendo que são utilizados procedimentos para armazenar os dejetos na menor área possível para se obter um menor volume, e são cobertos frequentemente com camadas de terra.

Em 2010 foram gerados 66,69 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos no Brasil, comparado com 2019, teve um aumento de 18,6%, ou seja, de 79,06 milhões de toneladas. Só em São Paulo, a maior cidade do país, esse número representa cerca de 20 mil toneladas de lixo gerada por dia. Esses são dados importantes para analisar quando pensamos na sustentabilidade, afinal, a disposição final de resíduos sólidos urbanos geram emissões de gases maléficos ao meio ambiente, tornando-se clara a necessidade de um correto gerenciamento da disposição final de resíduos sólidos urbanos.

O gás de metano (CH4) é o principal gás emitido por aterros sanitários e um dos principais gases que contribuem para o efeito estufa quando liberados para a atmosfera. Capturar esses gases nos aterros sanitários e convertê-los em fontes de energia é uma atividade que vem ganhando cada vez mais espaço. Além de reduzirem essas emissões altamente prejudiciais ao meio ambiente, esses gases são convertidos em fontes alternativas de energia.

Crescimento do biogás como fonte alternativa energética

Nos últimos anos o setor de biogás tem se desenvolvido bastante, sendo que as maiores plantas estão concentradas na Europa, nos países da Alemanha, Reino Unido e Suíça. Juntos somam mais de 10 mil estações, entre esgoto, sobra orgânica, agricultura, industrial e aterros sanitários. No Brasil, a produção de energia elétrica a partir do biogás também foi positiva. Esse crescimento se deve ao volume distribuído de 35 usinas que aproveitam os rejeitos urbanos, da pecuária e da agroindústria, para transformar em eletricidade. Isso corresponde à capacidade de abastecer uma cidade com 470 mil pessoas apenas com o biogás, conforme cálculos realizados pela Associação Brasileira de Biogás e Biometano (ABIOGÁS).

Uma unidade que utiliza o biogás como fonte renovável para geração de energia compreende, inicialmente, em linhas gerais, a implantação e operação de sistemas de captação e drenagem do gás desde o Aterro Sanitário até a planta processadora. Após passagem por processos que promovam redução de temperatura, compressão, limpeza e remoção de contaminantes, o biogás é encaminhado para conjuntos moto-geradores que realizam a conversão da energia química presente no gás em mecânica, ativando um gerador que produz a energia elétrica.

Biogás: maior competitividade para seu negócio

No Brasil, dada a grande participação da agroindústria na economia nacional, o potencial de produção de biogás é muito amplo. Sendo que é possível realizar diversas aplicações, como em fazendas de gado de corte, leiteiro, granja de suínos, aves, fecularias, entre outros.

A Leão Energia possui alta qualidade para aproveitar ao máximo o potencial do biogás com geradores de alta eficiência energética, proporcionando uma grande economia na conta mensal de energia elétrica. Sendo possível também produzir excedente de energia elétrica para ser vendido conforme as regras de Geração Distribuída.

Economia de energia e receita com a energia, é maior competitividade para o seu negócio.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp